quarta-feira, 29 de junho de 2016

Salve rainha

A mãe sol é uma estrela gigante, uma bola incandescente que aquece muita vida no universo, ao  seu redor tem estrelinhas que são as cuidadoras da luz e  que levam amor aos planetas de toda galaxia. Um dia uma estrelinha, sua querida, que acabava de nascer, pediu pra descer a terra,onde sentimentos sem brilho estavam por todas as partes. A grande mãe, disse-lhe: vá, mas não se demore, minha estrelinha querida. E para que não sinta frio te aconselho que desça até o Piauí, lá é claro e quente, não sentirás tanto. e assim se fez. Ela desceu. E escolheu Teresina, pois que diziam que era cristalina. Fez muitos amigos. E conquistou o centro da cidade, seu coração. E muito começou a se iluminar com a alegria e coragem da estrelinha, que mesmo nas noites mais truvas teimava em brilhar, nem que fosse com um pouquinho de glitter, purpurina aqui e acolá. Enquanto isso as a rainha solar sentia falta da sua fagulha de fogo no céu. Assim um dia à noite, quando a grande mãe descansava, em Teresina reinava uma festa, gente sorrindo, criança correndo, a grama cantando, havia alguns que tomavam chocolate, tinha pintores de passagem colorindo os ares, o lago vibrava com a onda de energia positiva. A estrelinha estava feliz demais, brilhava como nunca se viu em face da terra. Era noite de junho. Quando a festa acabou e só restou a noite e o brilho longínquo do céu, fez um vento frio e a estrelinha se apagou. O dia amanheceu em Teresina ainda mais quente que de costume, é que a estrelinha voltara pra sua mãe.

domingo, 19 de junho de 2016



Por um grande amor

uma flor se abre na face

pronta para ser acolhida

nas mãos de tantos quanto é suficiente

pra conhecer a escuridão que deixa o fim 

e o disparar das artérias que eleva do chão.
nos encontramos aonde o vento faz a curva

E ele revolve as folhas secas das pedras

sopra em cima da carne viva. 

amor, o grande amor
um lago que faz ondas ao sabor
do Teu sopro.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Há de se temer a vida Como se um lobo te espreitasse Noutras é a morte que aterroriza Esse encontro inevitável com outra sorte. Como se a noite fosse vermelha o coração bole E o sono é uma senhora sem norte Que fareja sândalo. A quem partiu Sõ as flores, A quem ficar O cheiro da noite. Grávida de destino.