quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O cheiro de folha madura
Da terra dura
Flores salpicando o chao
Oregano do sertao
A poeira faz redeminho
Orvalho do calorao
O b r o bro amole as gentes
Da sono quente
Suor correndo nas temporas
Como filetes de sangue
A infancia renova o tempo
Os cajueiros floriram.

domingo, 7 de agosto de 2016

Essa fera
Urra na curva do rio
Vive nas linhas do tempo
Balbuciando quando amanhece
Mulher és tu um oceano de escolha
Ante a ilusão.

À Simone Beauvoir