quinta-feira, 24 de novembro de 2016


Úmida beijada pelo sereno da noite
Ou ardente tocada por o sol de açoite
Eis que se abre pronta a receber o orvalho,
Lentamente a devorar te,
Carnívora flor.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

pra escapulir na brisa do mar
é só deslizar as mãos no ar
os raios e tempestades é só vento
que sacode as cobertas
é só um dançar de asas amareladas
até fazer dormir como se desmanchasse
as rugas que franziram a testa
na luz fraca da noite
e quando amanhece de pés descalços
é naquele quintal
vai pisando a poeira junto das folhas dos "verão"
quando chega manso ou bravo de sede
um emaranhado no cabelo ou um trejeito
no coração eu colho pétalas pra ti irmão

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

domingo, 6 de novembro de 2016

Um cheiro de chuva
E as gotas saltam pela janela
Indo molhar os pés dela,
Ah se esses pés fossem raíz
Nasceria um pé de menina
Tão bonita de ser mãe,
De nela nascer frutas
Para passarinho comer.
E depois menina voar
Na semente que essas asas levar.