segunda-feira, 5 de junho de 2017

Anonima
Nua se entrega as ondas do mar
E nada para nao chegar
Ela anda pela rua como canto
Sem pedir para passar
Sabe ser tua como a lua é do lar
Se alonga pela mata escura
E dorme no regaço do o rio
Corre no leito sem parar
Mae de estrelas da noite sem luar
Seu brilho é pra ninguém
Quando nao ves
Te olhar.

Nenhum comentário: